Itália - Reconhecido o direito a morrer

Roma, 14 nov (EFE).- A decisão do Tribunal Supremo de autorizar a supressão da alimentação a Eluana Englaro, uma mulher de 37 anos que se encontra em estado vegetativo há 17, aprofunda a divisão sobre a eutanásia na sociedade italiana que, em muitos setores, exige uma legislação ao respeito. (Leia mais...)

Comentário: A compaixão venceu o preconceito.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os incêndios e a chantagem ao Governo

O último pio das aves que já não levantam voo