O Sr. Duarte Pio e o opúsculo (3)

Na sequência do congresso monárquico que teve lugar aqui, numa caixa de comentários do Ponte Europa, ficámos a saber que:


- Há em Portugal mais de dez monárquicos;

- Nem todos nutrem pela gramática e pela civilidade o respeito que esbanjam com o pretendente ao imaginário trono português;

- O texto «O Sr. Duarte Pio e o opúsculo» mereceu o mais vivo repúdio de todos os monárquicos e os mais pios reparos quanto ao autor;

- Os devotos do Sr. Duarte Pio são também crentes fiéis e gostariam de ver o réprobo nas fogueiras do santo Ofício;

- Finalmente acham que há direitos de nascimento que devem obrigar os cidadãos a ser vassalos e que a Associação Portuguesa de Escritores (APE), depois da publicação do opúsculo, deve convidar o Sr. Duarte para sócio.


O Sr. Duarte, por alcunha Duque de Bragança, seguramente Bourbon mas dificilmente Bragança, usa enviar mensagens porque nenhum dos vassalos o informou da extinção da família real portuguesa. Aliás, os monárquicos que sobraram comprometeram-se, quase todos, com o correligionário fascista de Santa Comba depois de terem tentado atrelar-se ao Sidónio.


Desconhece que um rei pouco recomendável de quem se julga descendente, apesar da forte incerteza, um tal D. Miguel, caceteiro e absolutista, abdicou em Evoramonte de qualquer veleidade ao trono português, quando ainda existia.


Ignora que a República aboliu os títulos nobiliárquicos, do mesmo modo que a vacina erradicou a varíola, que a sífilis e a esterilidade puseram fim à família de Bragança e que deve a nacionalidade ao fim da lei do banimento.


Claro que tem muita graça o ornamento que usa a preceder o nome que o bom senso e o espírito democrático deviam prevenir do ridículo.


Não admira que o Sr. Duarte Pio se considere rei de Portugal. Houve quem julgasse ser Napoleão. Estranha-se quem o leva a sério e ignora que Portugal é uma República onde os monárquicos são uma reserva ecológica que os republicanos estimam em defesa da biodiversidade.


Não há privilégios de sangue que devam manter-se ainda que o sangue, ao contrário do referido caso, não precise de provas de ADN.

Comentários

Maria disse…
Nós Monárquicos somos mais democratas que muitos dos republicanos ...
Deve referir-se ao João Franco e à ditadura que, com o apoio de D. Carlos, conduziu ao regicídio.
Maria disse…
e tão democratas que foram logo os da 1ª república ...

que eu saiba Salazar era republicano ...

e tão democratas que são neste governo ... é o governo mais à direita que temos tido após o 25 de Abril ...
e tão democratas que foram logo os da 1ª república ...

RE: Pelo menos separaram a Igreja do Estado, instituíram o divórcio e acabaram com o degredo para as colónias.

que eu saiba Salazar era republicano ...
RE: Olhe que não!

e tão democratas que são neste governo ... é o governo mais à direita que temos tido após o 25 de Abril ...

RE: Talvez! Mas aqueles por onde passaram Paulo Portas, Bagão Félix e Santana Lopes, estariam à esquerda?

E quanto à democracia não quer fazer comparações com o Governo de João Franco, pois não?
Maria disse…
tal e qual como este governo, mas este supera os anteriores com as leis que tem feito sair ...

e não vi a promessa feita na campanha eleitoral que não iam descer os impostos ... subiram-nos ...

a lei do trabalho é igualzinha à que votaram contra quando eram oposição ...

e esqueceu algo os da 1ª república eram ditadores e intolerantes com quem pensava diferente ... cada um é livre de seguir ou não uma religião, ninguém deve ousar proibir alguém de seguir a que deseja ou até nenhuma e ser perseguido por causa dela ...
D. Maria:

Na monarquia e na ditadura fascista de Salazar o catolicismo era obrigatório e o divórcio, por isso, proibido.

A República teve aspectos anticlericais lamentáveis, nisso dou-lhe razão. Mas a missa, a novena e a comunhão não passaram à clandestinidade.

O Cerejeira não teve de se tornar apóstata e o Botas não deixou de frequentar a missa. Depois, logo que puderam, tornaram o catolicismo obrigatório e perseguiram todas as outras religiões.

Sabe que uma mesquita não podia ter porta para a rua? Que os professores eram obrigados a ser católicos?
Maria disse…
também na ditadura republicana (não posso colocar a bold e sublinhar) de Salazar ...

e na 1ª república perseguiram os jesuítas, até tiveram a ousadia de medir os cerébro a Jesuítas e publicarem o "grande" acto ... queimaram livros antiquíssimos, nosso património, património do Povo Português ...
Maria Menezes disse…
Ó SR. CARLOS ESPERANÇA, NÃO TEM MAIS NADA QUE FAZER? VÁ GOZAR COM A SUA MÃE, O SEU PAI E TODA A SUA FAMÍLIA!
VÊ-SE MESMO QUE É REPUBLICANO, RELES, SEM NÍVEL E ORDINÁRIO!

JÁ QUE PREZA TANTO ESTA REPÚBLICA FAÇA ALGUMA COISA POR ELA! MAS COMO NÃO HÁ NADA A FAZER, VINGA-SE EM DOM DUARTE. É PORQUE DOM DUARTE É IMPORTANTE PORQUE SENÃO NEM SEQUER FALAVA DO SENHOR.
DIGA MAL DO GASOLINEIRO DO PR E DA MULHER QUE QUANDO VAI A UMA FESTA, APALPA OS SALGADOS E BOLOS ANTES DE ESCOLHER UM PARA COMER!!!
Ó Sr.ª D. Maria de Meneses:

Ó SR. CARLOS ESPERANÇA, NÃO TEM MAIS NADA QUE FAZER? VÁ GOZAR COM A SUA MÃE, O SEU PAI E TODA A SUA FAMÍLIA!
VÊ-SE MESMO QUE É REPUBLICANO, RELES, SEM NÍVEL E ORDINÁRIO!

Isto não é linguagem de fidalga, parece de cortesã.
Maria Menezes disse…
É O QUE MERECE COMO REPUBLICANO ORDINÁRIO QUE É! MAIS UMA PROVA QUE NÃO SABE O QUE É DEMOCRACIA PORQUE NUMA DEMOCRACIA HÁ RESPEITO MAS NA VOSSA OBTUSA MENTALIDADE COMO REPUBLICANOS DE MEIA TIJELA, NA VOSSA DEMOCRACIA VALE TUDO E POR ENQUANTO MENOS ARRANCAR OLHOS! MAS FERTEIS EM LIBERTINAGEM DE LINGUAGEM! COMO É QUE ESTE PAÍS HÁ-DE PROGREDIR COM GENTE DESTE CALIBRE ESTILO CARLOS ESPERANÇA!
Ricardo Alves disse…
«que eu saiba Salazar era republicano»

Onde é que ele disse isso?
Ricardo Alves disse…
«tiveram a ousadia de medir os cerébro a Jesuítas»

Era o procedimento rotineiro para todas as pessoas detidas. Hoje tiram-se as impressões digitais.

(Sou contra uma e a outra práticas.)
Ricardo Alves disse…
«esqueceu algo os da 1ª república eram ditadores e intolerantes com quem pensava diferente ... cada um é livre de seguir ou não uma religião, ninguém deve ousar proibir alguém de seguir a que deseja ou até nenhuma e ser perseguido por causa dela»

Estou de acordo com a segunda parte do que afirma, mas não com a primeira. Recorde-se que antes da República as sinagogas e igrejas protestantes não podiam ter fachada para a rua; e que era crime criticar a religião oficial do Estado; e que era crime abandonar ostensivamente a ICAR; e que não havia registo civil obrigatório. Após a implantação da República, as igrejas católicas continuaram abertas, os seus cultos continuaram e os seus sacerdotes mantiveram a faculdade de os realizar. Simplesmente, deixaram de ser funcionários públicos e de estar protegidos por uma série de prerrogativas...
Ricardo Ferreira disse…
Ricardo Alves, acho que necessário fazer um desenho para eles perceberem.
Tenho alguma pena de si , caro Carlos Esperança, insiste num regime que nem os partidos com assento parlamentar acreditam

ora vejamos,

A 1º Republica foi extinta à lei da bala pelos próprios republicanos.Quando falo de "lei da bala", é uma redundãncia pois Lisboa chegou a ser bombardedada várias vezes por regimentos de artilharia, para supriir contestações populares e várias vezes foras "as liberdades constitucionais" "temporáriamente " suspensas.
Não falando do baixo carácter moral dos representantes e fundadores da 1º republica, que acabaram todos no exílio ou na miséria,a 1º republica foi um desastre em todas as frentes, em 1921 o país regrediu para niveis de riqueza do tempo das guerras liberais (isto é um facto estatistico).Só em 1990 é que Portugal chegou ao nível de riqueza mais próximo das nações mais evoluidas, algo que já existia no tempo de D. Maria I e a Republica fez o especial favor de destruir (outro facto estatistico).

E porque falhou?...simples, as "elites republicanas" são um mito.SE há poucos monarquicos , ainda há menos republicanos (republicanos a sério e não figurinhas decalcadas) e normalmente os que ocupam os orgãos de poder são aqueles que nem sequer acreditam na democracia

Portanto as republicas em Portugal tendem para anular o carácter democrático do regime.

Veja-se o monopólio do PRP na 1º republica que até se cindiu em três para parecer menos exclusivista....uma autêntica ditadura onde os jornais eram destruidos (como o caso do seculo)os operários mortos , espancados e perseguidos, a população não tinha qualquer peso na decisão pois apenas Lisboa votava (cr´térios republicanos para se ter direito a voto), as mulheres que tanta dedicação votaram à republica foi-lhes negado o acto de voto...etc etc etc

A 2º...Salazar era republicano porque que se saiba o regime não se alterou...Portugal continuou Republica (leia-se Ditadura), mas desta vez mais exteriorizada.
Creio que não vale sequer a pena falar neste triste exemplo, apesar de ser curioso que foi neste periodo que as mulheres tiveram acesso à cidadania..lol

3º republica...SE ler atentamente os jornais verá que nenhum dos partidos e respectivas direcções aprecia a democracia...eu já participei em várias petições e movimentos de cidadãos, mas se não forem os midia fica tudo à porta da AR

bem haja
Quanto ao texto que publica:

«- Há em Portugal mais de dez monárquicos;»

De facto são alguns milhões, se observar atentamente ou quiser ver as recepções que as populações (não os amigos e recepções oficiais como os republicanos gostam de fabricar) dedicam a D. Duarte Pio verá que muito pouca gente aprecia a Republica...aliás o próprio termo "Republica" é depreciativo

«- Nem todos nutrem pela gramática e pela civilidade o respeito que esbanjam com o pretendente ao imaginário trono português;»

Nutre nutrem, se fossemos republicanos o caro Carlos Esperança já tinha sido espancado ou teria tido um pelotão de espera, (como os republicanos gostam muito de fazer...ainda)os monárquicos podem ter muitos defeitos mas sabem muito bem onde fica a fronteira entre a civilização e a barbárie

«- O texto «O Sr. Duarte Pio e o opúsculo» mereceu o mais vivo repúdio de todos os monárquicos e os mais pios reparos quanto ao autor;»

Se escrevesse contra o PR ou a Republica não tinha aparecido ninguém para defender a honra de tão nobre senhora...logo por ai vê a diferença no valor real que a monarquia incute

«- Os devotos do Sr. Duarte Pio são também crentes fiéis e gostariam de ver o réprobo nas fogueiras do santo Ofício;»

Está a inventar...essa de misturar religião co politica é mesmo tipico de pensamento do sec XIX.Religião é do foro particular, o estado é laico e em todas as monarquias europeias há mais diversidade religiosa do que aqui, onde os republicanos ,de tão extremistas, até querem legislar a vida intima do cidadão

«- Finalmente acham que há direitos de nascimento que devem obrigar os cidadãos a ser vassalos e que a Associação Portuguesa de Escritores (APE), depois da publicação do opúsculo, deve convidar o Sr. Duarte para sócio.»

O Sr por acaso também não recebeu direitos à nascença?
Para ser coerente deveria rasgar o BI e entrara no Pais como imigrante


«O Sr. Duarte, por alcunha Duque de Bragança, seguramente Bourbon mas dificilmente Bragança, usa enviar mensagens porque nenhum dos vassalos o informou da extinção da família real portuguesa.»

São tão extintos que basta escrever a palavra D. Duarte para receber uma invasão de monarquicos...lol, se isso é extinção vou ali e venho

« Aliás, os monárquicos que sobraram comprometeram-se, quase todos, com o correligionário fascista de Santa Comba depois de terem tentado atrelar-se ao Sidónio.»

Nem um nem o outro...desconhece a história
Houve facções que apoiaram o Sidónio pelo facto de ser anti-republica velha, porque achavam que era a única forma de estabilizar o País, no momento.mas o apoio foi sempre provisório
O mero facto de monarquicos prescindirem das suas convicções em nome do bem comum demonstra muito bem a diferença entre republicanos e monarquicos

Os republicanos preferem ver o pais afundar do que admitir o erro

Com Salazar foi o mesmo (temporário), mas a partir de 50 os monarquicos passaram a ser um grupo de oposição ao regime (o principal)

Aliás, em ambos os casos é demonstrável que os republicanos sempre precisaram dos monarquicos para chegar a algum lado...o que dá vontade de rir...coitadinhos

«Desconhece que um rei pouco recomendável de quem se julga descendente, apesar da forte incerteza, um tal D. Miguel, caceteiro e absolutista, abdicou em Evoramonte de qualquer veleidade ao trono português, quando ainda existia.»

Os monarquicos lutam...sempre.
Já os republicas desistem na 1º esquina
Não há duvidas nenhumas acerca da legitimidade de D. Duarte e o Ministério da Justiça (republicano) até emitiu um comunicado a afirmar que o Estado português (portanto inclui-se o caro Carlos Esperança, porque Estado somos todos nós) apenas reconhecia SAR D. Duarte Pio como sucessor ao Trono...lol

Se fosse a si passava já para a clandestinidade...lol


«Ignora que a República aboliu os títulos nobiliárquicos,»

Falso, os titulos permaneceram válidos.Como em Portugal nobiliarquia não tinha qualquer correspôndencia com poder (como ainda acontece em Inglaterra) pode-se dizer que a única coisa que a Republica fez foi anular o Rei, mantendo tudo o resto mais ou menos igual

«do mesmo modo que a vacina erradicou a varíola, que a sífilis e a esterilidade puseram fim à família de Bragança e que deve a nacionalidade ao fim da lei do banimento.»

Outro erro....a 1º Republica nunca contestou o regime especial em que a familia Real foi posta em Áustria, pelo próprio país.Nunca houve qualquer contacto entre os dois governos nem SS AA RR foram alguma vez efectivamente "refugiados" (caso raro, porque é norma tentar distender os regimes de exclusão e privação de direitos para fora dos limites das Nações, veja-se o caso recente de Pinochet e tantos outros onde protecção a antigos chefes de Estado dá sempre origem a "barulho" nas embaixadas)
Todas as republicas mantiveram o estatuto de SS AA RR porque estas sempre foram vistas como a reserva de poder contra os erros e tropelias dos republicas

Eu por acaso gosto desta ingenuidade republicana...lol

«Claro que tem muita graça o ornamento que usa a preceder o nome que o bom senso e o espírito democrático deviam prevenir do ridículo.»

Tenho sempre esse pensamento em mente cada vez que vejo uma decisão da AR ou republicanos a debitar autoridade moral

«Não admira que o Sr. Duarte Pio se considere rei de Portugal.»

Ele e mais uns bons milhões deportugueses

« Houve quem julgasse ser Napoleão.»

Há outros que se julgam Presidentes sem mandar nada...lol

«Estranha-se quem o leva a sério e ignora que Portugal é uma República onde os monárquicos são uma reserva ecológica que os republicanos estimam em defesa da biodiversidade.»

Biodiversidade que já os salvou várias vezes.Bem que gostariam os republicanos de acabar com os monarquicos, mas coitaditos, nem força para isso têm, quanto mais governar o País...não admira que precisem de estrangeiros para o fazxer (dinheiro e apoio)

«Não há privilégios de sangue que devam manter-se ainda que o sangue, ao contrário do referido caso, não precise de provas de ADN.»

É como disse, rasgue o BI porque o meu amigo à nascença ganhou o direito de ser português!
Já vi que desconhece que o "sangue" como fonte de direitos até está na Constituição


:)

bem haja
Maria disse…
Um artigo de um jornal Republicano após apenas 5 anos da implantação da República:



Artigo no jornal “A Vanguarda” de terça-feira, 05 Outubro de 1915, Nº 966

Entre Camponeses

diálogo

-Bom dia compadre.
-Compadre, bons dias. E, a comadre está melhor?
-Assim ... assim ... e a respeito do que falámos anteontem, isto é, da resposta que te dei sobre essa política de ódios e de maledicências, que para ai se está fazendo impunemente, com o mais revoltante descaramento, tens meditado alguma coisa?
-Ah! Sobre a conversa que anteontem tivemos?
-Sim.
-Tenho meditado a valer. Mas, compadre, ainda mantenho integralmente a minha opinião. Afigura-se-me que tudo isto corre bem, que esta nau – a nação – está sendo inteligentemente timonada por homens de coração, por preclaríssimos e austeros cidadãos, por entidades da mais alta competência, enfim ...
-Sim?! Mas então nesse caso a minha opinião não é tão sagrada, tão digna de ser consultada, como o disseste anteontem! Duvidas ainda dela ... ノs um verdadeiro fanático, compadre ... Homens de coração, os políticos! Preclaríssimos e austeros cidadãos, entidades da mais alta competência! Como és ingénuo! Como ignoras a maledicência, a requintada malvadez dessa quadrilha de espertalhões sublimados que intitulas de homens de bem! E para te mostrar a toda a luz da evidência o quanto és injusto nas afirmações lisonjeiras que fazes cerca desses figurões sem escrúpulos, vou ler-te o que eles diziam aos quatro ventos e aos papalvos como tu, no tempo da Monarquia, cuja desilusão agora e tremenda, visto que a verdade não sanciona tais afirmações. Ouve e faz depois o teu exame de consciência:
“-Sabes o que é a República? - perguntavam eles ao povo. ノ a causa pública de todos nós. A República é o governo do povo pelo próprio povo. No povo e só nele reside a verdadeira soberania. Na República todos os privilégios são abolidos, sendo iguais perante as leis todos os cidadãos. Os mais honestos, os mais trabalhadores, os mais inteligentes terão o direito de ascender a todos os cargos políticos, ainda os mais elevados e importantes do País”. Recordas-te destas promessas mirabolantes que, eles, nos tablados comicieiros, faziam ao povo, com um arranjo iandito, descendo para isso aos povoados, como lobos famintos? Não te recordas, talvez!
-disso não me recordava eu, compadre. Mas, agora, recordo-me de lhes ter ouvido dizer essas patacoadas, quando uma vez fui a Portalegre a um mercado e assisti a um comício deles.
“São, como tu dizes, uns grandes trapalhões, não há dúvida. O que eles quiseram foi fazer a República à nossa custa, para agora nos matarem a tiros, à chanfalhada e a patas de cavalo na praça pública quando até ela descemos, reivindicando os nossos direitos. ノ uma cambada, a quem nós não podemos nem devemos perdoar ... P'ra baixo é que é o caminho! ...
-Ainda bem ... As minhas palavras vão calando no teu espírito, porque são, não tenhas dúvida, nenhuma, a mais legitima e ampla expressão da verdade. E nota: mesmo aquelas afirmações que te li, porquanto te pareçam boas, cor de rosa, dada a sua realização, nada têem de valor para mim ...
-Porquê?! ...
-Cá por coisas, que a seu tempo te direi. O assunto é amplo e a ele voltaremos. Por agora, dá cá um abraço e adeus.
-Então vá lá esse abraço. Até quando?
-Talvez, até depois de amanhã.
-Adeus.

(Reclus.)
Maria disse…
Sempre que lançam boatos, pedem testes de ADN?

Já disseram ao Mário Soares e seu filho João Soares para fazerem um teste de ADN?



O Presidente Manuel de Arriaga, ainda viveu enquanto presidente numa casa alugada, era um homem íntegro, deve ter sido por isso que foi afastado ...

A nossa Monarquia era uma monarquia onde havia eleições livres, os republicanos tinham os deputados segundo a votação, eram poucos? eram os votos que obtinham ...

Como disse um carbonário dessa época, a um seu sobrinho à hora de sua morte: ainda bem que não lhe saiu a bola preta porque assassinarem D.Carlos era assassinarem uma pessoa inocente ...

Foi um acto de terrorismo, assassinaram o nosso Rei.

D.Carlos era um Homem culto, um cientista, alguém que fez algo pelo nosso País, o qual era respeitado ... agora é só má fama ... corrupção e outros afins ...

Portugal é "vendido" ao estrangeiro ... o ministro da economia discursa noutro País, China e diz:
"Invistam em Portugal que os salários são baixos"

O ministro da Saúde, embora na constituição Portuguesa tenha um artigo sobre o direito à saúde:
" quem quer saúde, paga"

O ministério da educação elabora uma avaliação de professores que é um espectáculo ...

Os ministros e governantes deste governo foram escolhidos a dedo, o QI deve ser muito baixinho ...

E lá temos nós Portugueses de pagarmos as reformas acumuladas ... e a um uma indemnização choruda ...


Pagamos o ordenado do presidente mais as reformas dos anteriores ... fora as reformas das profissões ...

governantes são nomeados por vítimas que os acusam de os terem abusado sexualmente em crianças ...


etc, etc

Portugal está de rastos e um País onde reina a corrupção.

Os Países Europeus com Monarquias, são democratas e países desenvolvidos.
Manuel disse…
Mais uma vez, parece que a Monarquia e o Sr. Duarte Pio, são as únicas salvações do país...

É curioso os monárquicos apoiarem um "candidato" a rei escolhido pela República e segundo sei alguns "proeminentes" monárquicos dizem que o Sr. Duarte não é o legítimo herdeiro mas sim o Duque não sei de onde...

Isto é complicado saber quem é o verdadeiro rei...
Maria disse…
Quando vem o 4ª do tópico "O Sr. Duarte Pio e o opúsculo"?

é que nós mon+monárquicos nem que sejam 1000 continuamos a defender o Rei de Portugal.
Maria disse…
Sro. Manuel o Rei de Portugal é o legitimo herdeiro de nossos Reis pela linha de sucessão, é D.Duarte de Bragança

Viva Portugal

Viva El-Rei D.Duarte

http://www.youtube.com/watch?v=CX2roSxua3k
Os monarquicos defendem o Rei, porque ao fazerem-no defendem algo que vai para além de 100 anos de republica e muito além do pequeno e valente Portugal geográfico, porque assumir uma posição defender valores reais é ser frontal aqueles que apenas querem tachos e parasitar a sociedade

Os republicanos (não os verdadeiros) apenas defendem o seu egoismo revestido de ideais virtuais sem contexto e facilmente adaptáveis a toda a realidade

Dizem defender a capacidade eleitoral, quando muitos dos orgãos de soberania nem eleitos são (nomeados),

dizem que todos têm acesso aos órgãos de poder quandoa verdade é que o rapazito que nasce pobre raramente sai da pobreza e nunca terá sequer o vislumbre de ser eleito para o quer que seja

dizem formar cidadãos quando o ensino apenas forma ignorantes que apenas prolongam a arbitrariedades de uma burocracia irresponsavel

dizem que somos todos iguais quando Portugal nos ultimos 30 anos apenas vincou as diferenças sociais

dizem que a população é republicana quando SAR é recebido como elevado cuidade e consideração em todo o mundo lusofono sem precisar de "comprar aplausos e audiências"

dizem tanto e tão pouco , Nunca se viu um monarquico ser acusado de corrupção ou lesa pátria, republicanos... são "às paletes", desde corrupção, pedofilia, abuso de poder ou assassinato, os republicanos conseguem ser o repositório de todos os defeitos e erros no exercicio do Poder


Dirão..como é possivel?

É que os republicanos apenas defendem as suas costas pessoais, todo o monárquico defende o Rei, por arrasto todo o Portugal

Apenas capazes de verem o que está à frente dos olhos, julgam o Rei ser o individuo, pois o Rei somos todos nós no esforço colectivo de defender e acreditar em algo que nos é exterior e tão nosso


Viva o REI, VIVA PORTUGAL

bem haja
Ricardo Ferreira disse…
Mas o suposto rei não nasceu na Suíça?
FPtrad disse…
Mas vocês acham mesmo que a monarquia vai endireitar as coisas? Se assim fosse, não haveria desemprego nem corrupção em países como a Espanha, o Reino Unido ou o Liechtenstein. Ou acham mesmo que o Sr. Duarte Pio vai expulsar todos os corruptos, qual Santo Condestável de espada na mão? lol
Tenham mas é juízo.

Assinado,

Uma republicana "reles e ordinária" e com muito orgulho em fazer parte da plebe.
Adorei o recurso metafórico aos conceitos de "reserva ecológica" e "biodiversidade" para caracterizar o refugo de monárquicos que ainda por aí se pavoneia.
A baronesa D. Maria que se cuide, para não assistir novamente ao enxovalho de ver a sua pretenciosa ignorância ridicularizada.
ana disse…
"Com Salazar foi o mesmo (temporário), mas a partir de 50 os monarquicos passaram a ser um grupo de oposição ao regime (o principal)"

É também assim que eu penso, d. ricardo gomes da silva.Não consigo é lembrar-me do nome dos monárquicos que a partir de 50 morreram no tarrafal, ou em peniche, ou em qualquer outro lado às mãos da pide. Ou que foram impedidos de trabalhar ou malharam com os ossos na prisão por serem o principal grupo de oposição ao regime.

E eu gostaria muito que esses milhões que apoiam e desejam d. pio fossem a votos, acredito firmemente que assim, como se de um verdadeiro milagre se tratasse, veríamos resolvidos os graves problemas que ensombram o nosso portugal.
Maria disse…
Sro Alexandre Castro o seu comentário deu-me imensa vontade de rir, como faltam-lhe argumentos, toca de partir para o insulto .


Parece-me que aqui o ignorante ou o querer fazer-se passar por ignorante é o sro.

e obrigada pela "promoção".

mas parece-me quem deseja privilégios e ser mais algo são os republicanos que quando existia o "Conselho da Nobreza" choviam cartas a querer serem algo só pelo apelido, não tendo a noção que para uma carta de armas é necessário o estudo da ascendência e não vão lá por um apelido que não fizeram o estudo genealógico ... um que conheço apareceu pelo apelido e ao não conseguir fazer a ligação com a tal Família brasonada disse que devia ser por via bastarda e toca de mandar fazer um brasão que usa sem ter direito, nunca mais o ouvi falar da "luta da classe operária" ...


A minha noção da república é uma ascensão da burguesia ávida de poder e privilégios ... mais nada ... a melhor frase foi dos "intelectuais" que apareceram depois nas barricadas e disseram para os carbonários:

"é como uma bota que foi encomendada a um sapateiro, passem para cá a bota" ... uns deram o "couro" nas barricadas os "intelectuais" ficaram protegidos e se desse para o torto porem-se a salvo ...
Sandra disse…
Na modernidade da Monarquia,quanto à sua actualidade e abertura em relação à igualdade da mulher, a Monarquia deu-nos duas Rainhas e várias Regentes do Reino e na Europa reinam actualmente várias Rainhas, enquanto a república portuguesa se tem revelado ao longos destes enfadonhos 100 anos de um machismo fundamentalista de um sistema arcaico.
A Monarquia é independente, porque o Rei não depende de partidos enquanto que na república os candidatos à (chefia?) do Estado são dependentes de formações partidárias e humanamente é muito difícil, se não impossível, esquecer essas ligações e o favor dos apoios recebidos.
A Monarquia é um sistema mais natural e próximo dos cidadãos porque a transição de um Rei para o seguinte é mais natural porque não é feita a contra relógio, é de pai para filho, porque recai normalmente sobre pessoas já preparadas para o exercício da representação do estado e se o Rei exercendo mais tempo em funções se torna mais conhecido e mais próximo das populações. E a prova disto é o facto de após quase 100 anos de república se atribuirem nomes de Reis a empreendimentos privados e nunca vi que a mesma coisa se fizesse com nomes de presidentes da república.
Sandra:

Pelo seu raciocínio as ditaduras são independentes porque não dependem dos partidos nem têm horizonte temporal definido.

Não há democracias hereditárias.
FPtrad disse…
Lamento, mas não me entra na cabeça a ideia de que uma pessoa pode obter um cargo político simplesmente por ser "filho/a de". Então e a questão do mérito? Pela parte que me toca, tudo o que consegui na vida resume-se a isto: trabalho, esforço e perseverança. Nunca precisei de ser "filha de" ou de ter "sangue azul", pois esses atributos não são uma garantia de competência.

Além disso, acham mesmo que um rei tem a capacidade de resolver todos os problemas de um país? Basta ver o que se passa na Bélgica: o rei nem sequer consegue assegurar a unidade do país.

Essa ideia de que um rei é uma espécie de "Messias" dá-me vontade de rir!
Maria disse…
Sro Carlos Esperança,

As Monarquias Europeias existentes são democráticas

O Rei é o representante do Estado, é o representante de um Povo a sua história e cultura.
O seu Povo revê-se no seu representante, no seu Rei.

Quem governa são os governos eleitos nas eleições livres.
FPtrad disse…
"Na modernidade da Monarquia,quanto à sua actualidade e abertura em relação à igualdade da mulher, a Monarquia deu-nos duas Rainhas e várias Regentes do Reino e na Europa reinam actualmente várias Rainhas, enquanto a república portuguesa se tem revelado ao longos destes enfadonhos 100 anos de um machismo fundamentalista de um sistema arcaico."

Sandra,
Por acaso sabe o que é a Lei Sálica? É uma lei MONÁRQUICA que proíbe o exercício do poder real pelas mulheres, e que ainda é aplicada em vários países, como a Espanha. E as repúblicas também tiveram e têm mulheres como presidentes, como é o caso da Cristina Kirchner na Argentina, o da Michelle Bachelet no Chile, o de Glória Arroyo nas Filipinas, ou como foi o caso da Mary Robinson na República da Irlanda.

E depois ainda vêm acusar a república de machismo...
Sandra disse…
Pelo seu raciocínio as ditaduras são independentes porque não dependem dos partidos nem têm horizonte temporal definido.

Não há democracias hereditárias.
*****************+
Pelo que eu tenho lido nos comentários, quantas vezes este assunto foi aqui debatido?
As ditaduras pertencem à república e o sr. C. Esperança parece que é um pouco cabeça dura que ainda não compreendeu!Está-me a falar em democracias hereditárias?
*****************+
Por acaso sabe o que é a Lei Sálica? É uma lei MONÁRQUICA que proíbe o exercício do poder real pelas mulheres, e que ainda é aplicada em vários países, como a Espanha. E as repúblicas também tiveram e têm mulheres como presidentes, como é o caso da Cristina Kirchner na Argentina, o da Michelle Bachelet no Chile, o de Glória Arroyo nas Filipinas, ou como foi o caso da Mary Robinson na República da Irlanda.

E depois ainda vêm acusar a república de machismo...
************
O mal dos republicanos portugueses como não têm argumentos, estão ligados ainda à Monarquia medieval! Acordem, estamos em pleno séc. XXI!
No caso de Espanha, que eu saiba estão a mudar a lei porque se o Príncipe Felipe de Espanha não tiver um herdeiro, automáticamente será a filha mais velha, a Princesa Leonor.
Quanto às outras sras. que foram PR nesses países republicanos, lamento mas não tenho qualquer prazer de aprofundar esse assunto.
O que me interessa é Portugal! O nosso país não tem raízes republicanas e o resultado disto tudo é que estamos há 100 anos sem Rei, 100 anos sem rumo e 100 anos sem futuro!
****************
Sro Carlos Esperança,

As Monarquias Europeias existentes são democráticas

O Rei é o representante do Estado, é o representante de um Povo a sua história e cultura.
O seu Povo revê-se no seu representante, no seu Rei.

Quem governa são os governos eleitos nas eleições livres.

É isso mesmo, Maria! Mas ainda não compreenderam ou seja não querem compreender!
Bem haja!
Sandra:

1 - Quer maior violência do que as monarquias absolutistas? No entanto vigoraram em Portugal até 1820 e, se a D. Carlota Joaquina pudesse, com a ajuda de D. Miguel e dos padres, ainda hoje vigoraria;

2 - Dentro da monarquia constitucional recordo-lhe a ditadura de João Franco que teve o mérito de criar as condições para a Repúblia;

3 - Houve tempo em que a monarquia era a forma de governo aceite, tal como a origem do poder era considerada divina, mas os tempos mudaram;

4 - A monarquia espanhola, por exemplo, apesar da simpatia que me merece esta família real, é claramente ilegítima e não durará 3 gerações:

5 - As monarquias europeias cairam por cumplicidade com os regimes nazis e fascistas. A inglesa foi preservada apesar das simpatias germanófilas.

Enfim, não há poder legítimo sem sufrágio popular.
FPtrad disse…
Pois... e se houvesse um rei, que poder verdadeiro e efectivo é que ele teria? Provavelmente pouco ou nenhum. Seria apenas um "corta-fitas" ou talvez pudesse promulgar leis, mas não vejo muito mais o que ele poderia fazer...

O problema actual de Portugal não está no facto de ser uma república, mas antes no facto de termos um mau governo. E, francamente, não acredito que um rei possa resolver os nossos problemas. Em que é que um rei seria melhor do que os presidentes da república que tivemos? Vocês, monárquicos, misturam alhos com bugalhos. Eu própria, que sou republicana, não estou satisfeita com o estado das coisas e há muitos republicanos - a começar pelo autor deste blog - que sentem o mesmo que eu.

Quanto à monarquia espanhola, se ela é assim tão moderna, porque é que só agora é que está a mudar a lei de sucessão? Porque é que não pensaram nisso antes?

Outra coisa, que não tem a ver com o assunto: os advérbios acabados em "mente" não têm acento, por isso deve escrever-se "automaticamente"
FPtrad disse…
Sandra, uma perguntinha: para si o 25 de Abril não lhe diz nada? Para mim, diz-me muita coisa, apesar dos excessos e dos desmandos do PREC. E significa muito para mim porque, graças à Revolução dos Cravos, posso fazer coisas como discutir livremente neste blog.
Mas pronto, para si isto não deve ter um grande significado...
FPtrad disse…
Vocês, monárquicos, têm a sorte de poderem criticar o regime sem terem problemas com a justiça.
Não é o que se passa em certos regimes monárquicos: no Mónaco, quem se atrever a criticar publicamente Sua Alteza Sereníssima pode vir a ter problemas com a justiça.

Vocês acham que, com a monarquia, tudo seria perfeito? Pois bem, no Mónaco nem sequer existe um código de trabalho, qualquer trabalhador estrangeiro - mesmo devidamente qualificado - pode ser despedido com todas as facilidades e o Principado é um autêntico paraíso fiscal e de branqueamento de capitais.

God Save the Prince!
Ricardo Ferreira disse…
Para os Monárquicos tivemos séculos de grande avanço tecnológico e 100 de atraso.

Deviamos ser uma país muito rico no sec XIX.
Sandra disse…
Outra coisa, que não tem a ver com o assunto: os advérbios acabados em "mente" não têm acento, por isso deve escrever-se "automaticamente"
+++++++
Está a querer ensinar-me gramática? Foi um erro da minha parte. Graças a Deus aprendi português noutras épocas e não depois do 25/04.

Como o 25/04 foi feito pelos comunas, não aceito. Há muito podre sobre o 25/04 e qualquer dia vão ficar a saber os moldes em que essa revolução dos cravos foi feita!

Eu sei o que significa democracia enquanto vocês não sabem porque sou monárquica desde que nasci e nunca peguei nessa bandeira republicana/carbonária.
Isso é um trapo que nada representa e cheia de erros heráldicos.
+++++++++++
Não é o que se passa em certos regimes monárquicos: no Mónaco, quem se atrever a criticar publicamente Sua Alteza Sereníssima pode vir a ter problemas com a justiça.

Acho muito bem! Tem que haver respeito que é o que vocês republicanos portugueses não sabem o que isso é e estão desejosos que este país seja uma anarquia porque a justiça também não existe! Está tudo em vias de extinção...

Vocês estão com os vossos argumentos esgotados e já nem sabem como debater com os monárquicos. Estamos de olhos bem abertos e não vamos deixar que continuem a "xuxar" connosco!
Conterrâneo Carlos Esperança,

Antes de mais deixe-me dar-lhe os parabéns pela coragem e pela frontalidade com que continua a expressar-se neste seu espaço.
Relativamente ao tema, gostaria de propor a consulta do seguinte sítio:

www.reifazdeconta.com

A talhe de foice gostaria de dizer o seguinte:

Ou esta “gentalha” que se auto-intitula de nobreza, ou coisa que o valha, não está bem da cabeça, ou vive numa realidade paralela ou tem algum interesse pessoal a acautelar tão veementes são as atoardas que insiste em proferir.

Realmente, não obstante o estado menos bom em que a nossa sociedade se encontra, não obstante a qualidade duvidosa dos nossos políticos actuais e não obstante as ascendências “reais” de “sua alteza” mais ou menos verdadeiras, é incrível como um senhor tão boçal, diria até a roçar o mentecapto (continuando ainda assim a ser generoso na denominação) pode ser visto por um “mar” de súbditos como o exemplo de soberania e/ou o salvador da pátria deste nosso Portugal.

Com o devido respeito… é visível, até pela deficiente articulação das palavras, que o Sr. Duarte tem um qualquer desvio intelectual… Não que eu tenha alguma coisa contra o senhor!

“Amigos”, o nome de Portugal já passa suficientes vergonhas por esse mundo fora… “Duartizar” Portugal seria, neste âmbito, a cereja em cima do bolo!

Nota: Os fiéis escudeiros de sua “majestade” escusam-se a responder e/ou provocar porque este meu comentário é varão mas filho único!

Saudações CE
FPtrad disse…
Cara Sandra,

O respeito não se herda: faz-se por se merecer. Se um chefe de Estado, seja ele rei ou presidente da república, não mostrar respeito pelo povo, então o povo não tem obrigação de o respeitar. No caso da república, graças a Deus que o povo pode mandar embora um presidente se ele não o respeitar.

Quanto à educação pós-25 de Abril, por acaso recebi-a depois dessa data e estou longe de me considerar "analfabruta" e garanto-lhe que há muitas pessoas da minha geração que têm uma educação correcta e uma boa cultura geral.

O seu problema, como o de todos os monárquicos, é que você vê o "regresso do rei" como a salvação da Pátria, quando um rei não pode fazer grande coisa. Pois gostava que respondesse a esta pergunta (coisa que você parece não ser capaz de fazer...): o que é que o sr. Duarte Pio poderia realmente fazer se fosse rei?
Sabe, não estamos no universo do "Senhor dos Anéis"...

Você não tem argumentos e acusar-nos de desejar a anarquia é um insulto à inteligência humana! Os seus argumentos é que estão esgotados, minha cara...
FPtrad disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
FPtrad disse…
Deixo aqui uma pergunta aos monárquicos e espero que tenham a coragem e a frontalidade de me responderem: o que é que o sr. Duarte Pio poderia REALMENTE fazer por Portugal, se fosse rei?

Exijo uma resposta com cabeça, tronco e membros e, sobretudo, bem fundamentada. São capazes de fazer isso?
ana disse…
"Exijo uma resposta com cabeça, tronco e membros e, sobretudo, bem fundamentada. São capazes de fazer isso?"

Não são, não. Se eles mal sabem escrever, como poderão pensar?
Sandra disse…
Não vou perder o meu tempo em explicações que aqui já foram mencionadas por vários colaboradores "n" vezes. Se quiserem enriquecer os vossos conhecimentos sobre Monarquia e Sua Alteza Real, O Senhor Dom Duarte Pio de Bragança, podem visitar os seguintes sites:

IDP - http://idp.somosportugueses.com/site/

SomosPortugueses.com - http://www.somosportugueses.com/

Causa Monárquica: http://www.causa-monarquica.tk/

Família Real Portuguesa: http://www.realfamiliaportuguesa.blogspot.com/

Estado Sentido: http://estadosentido.blogs.sapo.pt/

E muito mais, é só irem ao google e pesquisarem.

-Sobre o que o Mário Martinho disse:-
O tal reifazdeconta é um mafioso italiano que já esteve preso e quer ser rei de Portugal e esse Mário Martinho deve fazer parte do grupelho do reifazdeconta - http://reifazdeconta.blogspot.com/ que são pagos por esse mafioso italiano para denegrirem e atentarem contra a dignidade de S.A.R., O Senhor Dom Duarte.

E é tudo!
Maria disse…
"Ou esta “gentalha” que se auto-intitula de nobreza, ou coisa que o valha"

o Mário Moutinho deve pensar que os Monárquicos são todos nobres ...
FPtrad disse…
Maria e Sandra,

Como já calculava, vocês nem sequer são capazes de responder às minhas perguntas. Porquê? Porque não têm argumentos válidos. E precisamente por não terem argumentos válidos, vocês não merecem respeito. Sabem, é que a "gentalha" que vocês tanto desprezam gosta de uma discussão bem fundamentada, algo que vocês são incapazes de fazer.

Já agora, cara Sandra, deixe-me explicar-lhe por que razão a Casa Real Espanhola vai mudar a lei da sucessão: porque as circunstâncias obrigam a isso, caso contrário haveria uma crise dinástica. Se os Príncipes das Astúrias tivessem tido um filho varão, essa questão nunca, mas nunca teria sido abordada. Essa é que é essa.

Vocês tratam-nos por "gentalha reles", mas nem sequer sabem defender os vossos argumentos (e não, não tenho curiosidade em ver os sites da causa real). Vocês acham-se superiores a nós, mas são incapazes de responder às perguntas lógicas que vos fazem e nem sequer têm espírito crítico. E por isso não merecem o meu respeito.

Sabem que mais? Vão bugiar!
Maria disse…
Fptrad

"Deixo aqui uma pergunta aos monárquicos e espero que tenham a coragem e a frontalidade de me responderem: o que é que o sr. Duarte Pio poderia REALMENTE fazer por Portugal, se fosse rei?

Exijo uma resposta com cabeça, tronco e membros e, sobretudo, bem fundamentada. São capazes de fazer isso?"



Nesta altutra, com este governo que temos

Seria difícil,

mas creio que faria melhor do que o presidente, visto ser isento de partido político e não tomaria posições partidárias. Tentaria ser um árbitro não tomando partido e sendo firme.
FPtrad disse…
"Nesta altutra, com este governo que temos

Seria difícil,

mas creio que faria melhor do que o presidente, visto ser isento de partido político e não tomaria posições partidárias. Tentaria ser um árbitro não tomando partido e sendo firme."

Senhora Dona Maria,
importa-se de apresentar provas do que diz? É que as opiniões são como os chapéus: há muitas.
FPtrad disse…
Além disso, acreditar que o rei seria melhor do que um presidente da república é como acreditar no Pai Natal.

Acreditar não basta: é necessário mostrar e provar.
Maria disse…
"Senhora Dona Maria,
importa-se de apresentar provas do que diz? É que as opiniões são como os chapéus: há muitas."


e chamou-me o sro BURRA ... vive em Portugal? ...
FPtrad disse…
Pois, Sra. Dona Maria, mas eu gostava que nos explicasse as verdadeiras vantagens de termos uma monarquia: em que é que o sr. Duarte Pio faria a diferença em relação a um presidente da república? Que tipo de relações poderia ele estabelecer com o poder político e judicial? Que tipo de iniciativas poderia ele realizar para promover a economia, a educação, a saúde e a cultura? É isso que eu gostava de saber, de preferência sem citações nem links de sites, apenas pelas suas próprias palavras. Pode fazer isso por mim e por nós, para podermos elevar a qualidade do debate?

Se eu vivo em Portugal ou não, isso não lhe diz respeito e nem vem ao caso. E, já agora, aproveito para dizer que sou uma mulher.
Caro Esperança

«É também assim que eu penso, d. ricardo gomes da silva.Não consigo é lembrar-me do nome dos monárquicos que a partir de 50 morreram no tarrafal, ou em peniche, ou em qualquer outro lado às mãos da pide. Ou que foram impedidos de trabalhar ou malharam com os ossos na prisão por serem o principal grupo de oposição ao regime.»

Primeiro não sou Dom e se o fosse seria com maiúscula "D"....
Espanta-me que desconheça porque houve vários (é verdade não foram só os comunistas...é triste!)...olhe, um deles apresentou no ultimo comicio do PS uma moção (que só teve 50 votos...tão democrático que é o PS!) .Outro bastante conhecido esteve no MRPP e é hoje Presidente da Comissão, Já para não falar num outro que está na Cãmara de Lisboa e chateou-se recentemente com o BE (partido pelo qual concorreu com o pseudónimo "Zé")...quanto ao zé povinho, muitos forma os monárquicos que foram parar com os ossos à esquadra por atacarem com propaganda o regime..na decada de 60 houve que numa noite pusesse às escondidas cartazes em todas as paredes da Universidade de Lisboa...as quais era sumamente arrancadas por muitos dos que hoje se dizem "democratas da liberdade"

«E eu gostaria muito que esses milhões que apoiam e desejam d. pio fossem a votos, acredito firmemente que assim, como se de um verdadeiro milagre se tratasse, veríamos resolvidos os graves problemas que ensombram o nosso portugal.»

Não sabia que desconhecia que os republicanos detêm o monopólio na natureza dos candidatos?
Desconhece que estamos em Republica?...ou será que confunde o Rei com um papagaio partidário?

«Não há democracias hereditárias.»

Ha ha ha ha ha...desconhece os antepassados próximos da maioria dos tachistas que estão no poder
...a quase totalidade descende da nobreza..para eles o Carlos esperança não passa da "1º geração depois da barraca".
Gostei da ingenuidade!

cara FPtrad,

«Lamento, mas não me entra na cabeça a ideia de que uma pessoa pode obter um cargo político simplesmente por ser "filho/a de". Então e a questão do mérito? »

Concordo...basta olhar para a "familia Soares", ou a familia "Soares da Costa" ou a familia "Portas"..a republica é eximia nisso

«Pela parte que me toca, tudo o que consegui na vida resume-se a isto: trabalho, esforço e perseverança.»

Essa é a sina do zé povinho idiota...se fosse esperta conseguia-o sem fazer metade do esforço.Aliás eu tive um professor que dizia que quem estuda é para não trabalhar...conceito republicano que eu nunca entendi!


«Nunca precisei de ser "filha de" ou de ter "sangue azul", pois esses atributos não são uma garantia de competência.»

Isso é porque nunca foi apanhada nas malhas das finanças ou de outro organismo arbitrário da republica...no dia em que o for vai desejar ser "filha de"...até paga!

«Além disso, acham mesmo que um rei tem a capacidade de resolver todos os problemas de um país? »

yap!

«Basta ver o que se passa na Bélgica: o rei nem sequer consegue assegurar a unidade do país.»

porquê? a Belgica separou-se?

«Essa ideia de que um rei é uma espécie de "Messias" dá-me vontade de rir!»

Rir faz bem á saude...mas não dá razão

«a Lei Sálica? É uma lei MONÁRQUICA que proíbe o exercício do poder real pelas mulheres, e que ainda é aplicada em vários países, como a Espanha.»

Dece ser por isso que uma das maiores rainhas de Espanha foi uma mulher...não!...não pode ser!
Pasme-se...afinal a Lei sàlica não se aplica em Espanha....lol

Gostei da referência a uma lei da idade média...é giro...mais um prego no caixão dos argumentos republicanos

«Mas vocês acham mesmo que a monarquia vai endireitar as coisas? Se assim fosse, não haveria desemprego nem corrupção em países como a Espanha, o Reino Unido ou o Liechtenstein.»

Não..Portugal comparado com esses paises é um autêntico paraiso!

Outro prego

«Deixo aqui uma pergunta aos monárquicos e espero que tenham a coragem e a frontalidade de me responderem: o que é que o sr. Duarte Pio poderia REALMENTE fazer por Portugal, se fosse rei?»

Podia, não!...já fez e faz desde à 30 anos
Eu perguntaria o que o cavaquito fez desde que lá está em Belém..para além da demagogia e discursos para zé povinho estupido

«Vocês, monárquicos, têm a sorte de poderem criticar o regime sem terem problemas com a justiça.
Não é o que se passa em certos regimes monárquicos: no Mónaco, quem se atrever a criticar publicamente Sua Alteza Sereníssima pode vir a ter problemas com a justiça.»

Nós?...nós até somos uns santos comparados com o que alguns ilustres republicanos dizem do próprio regime que os engorda.
verdade seja feita aos republicanos...para atacar a republica não há como eles (vocês)

«Além disso, acreditar que o rei seria melhor do que um presidente da república é como acreditar no Pai Natal.»

Não por acaso não pode ser assim porque o Pai natal por cá já é o sistema partidário republicano
O verdadeiro pai Natal que no final de cada ano dá mercedes e plasmas à custa do contribuinte

Neste aspecto o PR já é o Pai Natal..basta vê-lo a comer o bolo Rei....ha ha ha ha!

«Pois... e se houvesse um rei, que poder verdadeiro e efectivo é que ele teria? Provavelmente pouco ou nenhum. Seria apenas um "corta-fitas" ou talvez pudesse promulgar leis, mas não vejo muito mais o que ele poderia fazer...»

Isso é o que o PR faz!...só!
Já vi que os republicanos Têm é miopia...não vêm nada para além do PR...como o Rei está longe só Vêm uma nuvem distante...e tal
Bom...comparar um PR com um Rei é como comparar um homem como um Porco...ambos biologicamente iguais, mas um anda em quatro e o outro não, um é estupido o outro não, um come restos e vive na porcaria que fabrica o outro não...etc etc etc

«Já agora, cara Sandra, deixe-me explicar-lhe por que razão a Casa Real Espanhola vai mudar a lei da sucessão: porque as circunstâncias obrigam a isso, caso contrário haveria uma crise dinástica. Se os Príncipes das Astúrias tivessem tido um filho varão, essa questão nunca, mas nunca teria sido abordada. Essa é que é essa.»

Engana-se,a questão continua.O grande problema não está na monarquia mas no facto de os espanhois em geral serem uns machistas de 1º...os republicanos acham que os regimes e as leis resolvem as falhas do povo, mas é ao contrário....por isso é que já houve 2 republicas falhadas em Espanha.
Os regimes fazem-se de baixo para cima e não ao contrário, or isso é que as monarquias são o melhor regime a alcançar o equilibrio, resultam do povo e não do que meia duzia acha que o povo deve ser

«Vocês tratam-nos por "gentalha reles", mas nem sequer sabem defender os vossos argumentos (e não, não tenho curiosidade em ver os sites da causa real). Vocês acham-se superiores a nós,»

Preconceito seu, è verdade que existem muitos fleumáticos da nobreza...mas esses não são monarquicos...são outros republicas da "maria vai com as outras".A curiosidade é essencial...se visse o site do IDP (onde SAR é Presidente de honra) veria que lá estão muitos republicanos de gema...sabe porquê?

porque contrariamente a alguns republicas que por ai andam , o Portugal não pertence a meia duzia de iluminados da treta...pertence a todos os portugueses e a pluralidade de opiniões é essencial para sobrevivermos como Nação.

Esse argumentário republicano é uma autêntica droga alucinante que paralisou o pais nos ultimos cem anos...é falsa e mortal

bem haja
FPtrad disse…
"Essa é a sina do zé povinho idiota...se fosse esperta conseguia-o sem fazer metade do esforço.Aliás eu tive um professor que dizia que quem estuda é para não trabalhar...conceito republicano que eu nunca entendi!


«Nunca precisei de ser "filha de" ou de ter "sangue azul", pois esses atributos não são uma garantia de competência.»

Isso é porque nunca foi apanhada nas malhas das finanças ou de outro organismo arbitrário da republica...no dia em que o for vai desejar ser "filha de"...até paga!"

Meu caro Ricardo Gomes da Silva,

Não insulte as pessoas que trabalham honestamente. Posso fazer parte do "Zé Povinho estúpido", como você diz, mas do Zé Povinho que trabalha honestamente e não engana ninguém, e que se orgulha disso.
E que história é essa do "conceito republicano" de que "quem estuda é para não trabalhar"? Sabe, os meus pais, que fazem parte do "Zé Povinho" que você tanto despreza, sempre me ensinaram o contrário, sempre me ensinaram o valor do estudo (porque eles não puderam estudar), da dedicação e do trabalho bem feito. E isso não tem nada a ver com a monarquia ou com a república: tem simplesmente a ver com a filosofia do valor do trabalho, que transcende (ou devia transcender) as ideologias políticas. Percebeu?

"Podia, não!...já fez e faz desde à 30 anos
Eu perguntaria o que o cavaquito fez desde que lá está em Belém..para além da demagogia e discursos para zé povinho estupido"

Quanto ao Cavaco Silva, confesso que nunca gostei dele, pois não é porque alguém é presidente da república que eu tenho de gostar dele. Quanto ao Sr. Duarte Pio, o que é que ele já fez pelo país? Outra coisa: em vez de escrever "à trinta anos", deve escrever "há trinta anos". Entendido?
Cara FPtrad,

«o valor do estudo (porque eles não puderam estudar), da dedicação e do trabalho bem feito.»

Concordo...e onde está o trabalho "bem feito" dos ultimos anos da Republica?
A cara amiga, se valoriza o trabalho, deveria ser das primeiras a revoltar-se contra tanta incompetência em vez de defender as "costas" dos tachistas do costume...esse é o meu conceito de "zé povinho estupido"

«E isso não tem nada a ver com a monarquia ou com a república: tem simplesmente a ver com a filosofia do valor do trabalho, que transcende (ou devia transcender) as ideologias políticas.»

Ai tem tem...isso é que tem!
Nos ultimos 100 anos a republica (e as suas "elites" de mer++") gastaram mais dinheiro e penhoraram mais bens publicos e sacrificaram mais portugueses que todo o periodo da monarquia constitucional e com , nem 10% dos resultados.

Onde está a exigência de quem se diz "amante do trabalho bem feito"?

ficou no sapato, não ´é?

«Quanto ao Sr. Duarte Pio, o que é que ele já fez pelo país? »

leia isto:
http://www.bertrand.pt/catalogo/detalhes_produto.php?id=58147

longe de mim substituir-me a um livro (espesso).

Claro que como tem a mentezinha formatada e como tudo o que disse é só para inglês ver vai-me mandar dar uma curva com o livro
No fim o que os republicas querem é manter o estado de irresponsabilidade que já dura há mais de 100 anos, nem que para isso tenham de dizer que são tão pobres como o zé povinho e tão amantes do trabalho como este...ha ha ha

Deixe-me dar-lhe uma informação...o zé povinho trabalha porque não tem outra opção!

e fosse um zé povinho inglês subdito já teria há muito deixado o estado de sobrevivência para se dedicar a actividades mais produtivas e evolutivas do que chafurdar a cara na lama para sobreviver.

A cara FPtrad não gosta de trabalho nem sabe o que é o zé povinho...é apenas mais uma do sistema que o parasita a troco de umas festas na cabeça do povo

e adianto-lhe que para demagoga é muito fraquinha

:))

bem haja
FPtrad disse…
"A cara amiga, se valoriza o trabalho, deveria ser das primeiras a revoltar-se contra tanta incompetência em vez de defender as "costas" dos tachistas do costume...esse é o meu conceito de "zé povinho estupido"


Pois pode ter a certeza de que me revolto com muita coisa neste país. Revolto-me imenso. Quanto ao trabalho bem feito, refiro-me ao trabalho individual, em oposição à ideia de que "quem estuda não quer trabalhar". Sou uma simples tradutora, mas ganho suficientemente bem a vida a fazer algo que gosto, sem enganar os outros e sem ser parasita. E tenho muito orgulho no meu trabalho.

"e fosse um zé povinho inglês subdito já teria há muito deixado o estado de sobrevivência para se dedicar a actividades mais produtivas e evolutivas do que chafurdar a cara na lama para sobreviver.

A cara FPtrad não gosta de trabalho nem sabe o que é o zé povinho...é apenas mais uma do sistema que o parasita a troco de umas festas na cabeça do povo

e adianto-lhe que para demagoga é muito fraquinha

Sim, sou do "Zé Povinho", pois não nasci num berço de ouro nem nunca tive nada de mão beijada. E gosto de trabalhar e sinto-me realizada no meu trabalho.

Outra coisa: Você não me conhece, por isso, NÃO LHE PERMITO QUE FAÇA JUÍZOS DE VALOR SOBRE O QUE FAÇO OU DEIXO DE FAZER.

Por isso, muito sinceramente, não costumo ser mal-educada, mas digo-lhe isto:

VÁ À MERDA e NÃO VOLTE!

E faça o favor de NÃO VOLTAR A DIRGIR-ME PALAVRA!!!
Não não sabe...deveria ter tido como eu já tive funcionárias a pedir vales para darem de comida aos filhos

crianças a pedir comida para irmãos porque o pais estavam ausentes

miséria ao vivo...por total culpa da Republica

A Republica falhou redondamente e merece a total punição pelo desastre que trouxe para o seu povo

Portanto a cara amiga, não se faça de "madalena ofendida" porque o seu berço pode não ter sido de ouro mas foi de facto dourado comparado com outros...muitos outros!

Quanto ás letras graudas, deixe-se disso que o som não chega a este lado...hahahaha

Não gostou do remédio que andou a dar? aprenda a respeitar os outros para ser respeitada

Quanto á profissão que diz exercer...eu sei quanto se ganha por conta própria...mal!
e a maioria das empresas recorre a profissionais liberais
O seu discurso é de quem está bem com o sistema, portanto deve estar com contracto, possivelmente cunha!

para falar em trabalho prefiro ouvir um servente ,um pedreiro ou uma costureira..isso sim é trabalho!

bem haja
FPtrad disse…
"Não não sabe...deveria ter tido como eu já tive funcionárias a pedir vales para darem de comida aos filhos

crianças a pedir comida para irmãos porque o pais estavam ausentes"

Sei sim senhora! Sei o que é viver num apartamento miserável que dá apenas para duas pessoas quando a minha família é de cinco pessoas. Os meus pais trabalham desde os 14 anos, não puderam estudar, mas fizeram tudo para me dar uma vida melhor. E tenho muito orgulho neles, pelo que são, pelo que fazem e pelos valores que me incutiram, especialmente o de nunca me resignar e lutar sempre para ter uma vida melhor.

"Não gostou do remédio que andou a dar? aprenda a respeitar os outros para ser respeitada"

Este conselho aplica-se a si, meu caro...

"Quanto á profissão que diz exercer...eu sei quanto se ganha por conta própria...mal!
e a maioria das empresas recorre a profissionais liberais
O seu discurso é de quem está bem com o sistema, portanto deve estar com contracto, possivelmente cunha!

para falar em trabalho prefiro ouvir um servente ,um pedreiro ou uma costureira..isso sim é trabalho!"

Não, não tenho contrato e não tenho cunhas. Aliás, nunca tive. Felizmente, nunca precisei disso.
O meu trabalho não é trabalho? Então é o quê? Acha que ando na boa vida? Não, não ando. E odeio o sistema tanto como você: odeio a exploração, a precariedade, o desemprego, os falsos recibos verdes... A minha revolta face à situação do país é tão grande como a sua. Sabia? Pois então fica a saber.

Quanto a trabalhos dignos, qualquer trabalho é digno desde que realizado honestamente e desde que não haja aviltamento e humilhação.
E eu acredito na honestidade, venha ela da parte de um republicano ou de um monárquico.

E vou ficar por aqui, pois não tenho prazer nenhum em discutir consigo, pois as suas palavras metem nojo.

Por isso, ponho fim à nossa discussão.
Jaime disse…
...a evidencia:Os paises mais desenvolvidos do mundo, os paises com democracias mais solidas e mais justas e onde o desenvolvimento humano atinge os 1os lugares dos rakings mais exigentes são Monarquias e não republicas: Noruega, Australia, Japão, Dinamarka, Suecia, Canada, Holanda, Luxemburgo, Belgica, Reino Unido...Espanha...
A republica não serve de modo algum os intereses de Portugal porque levou a uma das coisas mais perigosas em democracias: quando todos acham que mandam e cada um escolhe os seus intereses em primeiro!! O sentido de estado esta perdido em Portugal, e não pode ser devolvido por um chefe de estado que é escolhido por um partido. Acham mesmo que se a monarquia não fosse um regime Inteligente algum destes paises ainda o mantinha? A republica fica mais cara k a Monarquia...com a desvantagem que o sentido de patria e de responsabilidade individual, pode mais facilmente ser desagregado...
Pela Verdade! disse…
O Duarte Pio está simplesmente à rasca por ter sido desmascarado em http://www.reifazdeconta.com e estes palermas que o defendem só podem ser mais patetas que o " reizinho" deles porque se o pateta os consegue enganar, eles só podem é ser muito, mas muito mais BURRRRROS!
quem diria!...o valdez por estes lados...pensava que tinhas esticado o pernil

Então o idiota do italiano agora paga em cheques pré datados?...tem-se notado menos poluição com as asneiras que dizes..também apareces muito menos!

he he he...tens de aparecer mais, senão o italiano corta-te a mesada

ah..e continua a dizer que estamos "á rasca" pode ser que te convenças de tanto o dizeres, aqui os ateus já desistiram.

bem haja

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …