Vem aí outro Cluny? É de fugir (2)


O meu post anterior mereceu um comentário que divulgo pela sua importância, qualidade da argumentação e solidez jurídica do autor:

Por

A. H. P. (Advogado)

[Ao post]... só há a acrescentar uma coisa: é que neste caso a questão é mais grave que de costume: é que o Ministério Público (contrariamente aos juízes) é uma magistratura hierarquizada, e o seu mais alto representante institucional - o Procurador-Geral da República - já disse mais que uma vez que nunca houve pressões nenhumas. Como se admite que venha agora o "visconde" dizer o contrário?

Além de violar o princípio da separação de poderes, o pseudo-proletário "sindicalista" desrespeita a hierarquia em que está integrado!

E depois destas atitudes como querem estes indivíduos que o povo os respeite?

Comentários

ana disse…
Eu fico (mais uma vez) com a sensação de que em Portugal tudo é permitido e ninguém é responsável por nada. Será que, noutro país, este cluny também não teria de provar o que diz?
Mano 69 disse…
D. Ana

Mas está a escrever sobre quem?
O George Clooney?
A. Moura Pinto disse…
Trata-se de um lorpa que fala de pressões mas que entende reservar para mais tarde a sua divulgação. Exactamente ao jeito de quem quer dar a entender coisas, assim como o tal que dizia "vocês sabem bem do que estou a falar". E está a justiça ao cuidado destas enormidades...
ana disse…
Não, sr. mano. É mesmo sobre os cluny deste país.
Mano 69 disse…
Pois, mas os «cluny deste país» tem nome próprio e apelido.

Acredito no entanto que seja mais fácil utilizar o argumento de "vocês sabem bem do que estou a falar", parafraseando o ilustre antecedente.
André Pereira disse…
todos nós sabemos do que ele está a falar. E temos que ter cuidado, este país anda perigoso. Andam por aí uns tipos das secretas e - estão a ver - podemos ter problemas. Tem a ver com as questões do costume: aquelas coisas do poder, sabem?. Sim, sabem do que estou a flar: por isso, se calhar, o melhor é mesmo arranjar um pseudónimo. Ou um nome falso. Ou até... quem sabe ... pedir protecção a um desses. Porque as pressões são fortes. São muito fortes e eu não posso revelar. Cuidado! Abril está em perigo! As pressões serão reveladas, porque nós somos corajosos. Agora não: sabem do que estou a falar...
Mano 69 disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Mano 69 disse…
A teoria (digo mania) da perseguição…


Mania

Há manias pacíficas e furiosas. As primeiras consistem em esquisitices, caprichos, teimas ridículas sim, porem sossegadas, prazenteiras, e até obsequiosas; a ninguém prejudicam, excepto aos que as têm. As segundas consistem em extravagâncias, transportes, desordens e afectos extremados.

ROQUETE, J.I., O.F.M. 1885: 206-207

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …