Momento de poesia

Dissertação sobre o sebastianismo…


Ninguém entrou na Quinta Velha

desde que o pai morreu de loucura

as sombras dos fantasmas

ainda correm pelas salas,

nas noites assombradas,

a fazer tremer os cristais e as pratas

a espada ferrugenta do Salado

chegou a cair da panóplia, misteriosamente,

mesmo os fantasmas que ele inventava

todos os dias, para se entreter,

também deambulavam pelos corredores

como se aqueles fidalgos

de elmo e armadura, pendurados

nas paredes, tivessem ressuscitado

das suas catacumbas

e tudo foi devolvido ao tempo

quando o pai foi à varanda

para morrer

depois de ter vingado Alcácer-Quibir

os criados fugiram espavoridos

quando o ouviram bradar aos soldados

inventados pela febre

que atacassem a infame mourama

e os soldados e os criados já não o viram

cair fulminado por um dardo

era verão, e o calor era igual

ao do deserto

onde o rei apodreceu

sem ter prometido, como dizem,

que um dia iria voltar.

Alexandre de Castro

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975