Trump e a Venezuela

Trump, depois de ter esticado a corda contra a Coreia do Norte, colocando-se ao nível do esquizofrénico líder da dinastia Kim, criou uma situação de difícil retorno. Resta saber se ainda há um módico de bom-senso que evite a catástrofe à escala planetária.

O Presidente dos EUA, se a loucura o levar a carregar no botão atómico, ninguém o poderá travar.
Entretanto,

Como o ego dos ineptos exige a exibição permanente, Trump avançou para as ameaças à Venezuela onde a situação política se deteriora sem precisar que diga alto o que a CIA já está a fazer no terreno, com a agravante de tornar mais impopular o seu país.

Trump não é um político, é um empreiteiro que espreita negócios.

Comentários

e-pá! disse…
Se procurássemos alguém capaz de prejudicar profundamente a oposição venezuelana a Nicolás Maduro, esse alguém só poderia ser Donald Trump e a sua ameaça de intervenção militar na Venezuela.

Não será de estranhar se nos próximos tempos as 'arruadas' de Caracas e outras cidades sejam preenchidas por um unitário coro em defesa da independência e soberania nacional.
E nada melhor para o regime chavista, acossado pela pressão internacional e desbaratado por Maduro, do que invocar o patriotismo libertador.

Porque é aí que se encaixa historicamente Simón Bolivar (... 'El Libertador') a matriz do 'chavismo'.

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …